Adeus até breve!

Dia 29 faz dois meses que já não estás entre nós.
Não sei como explicar o que tem sido esta sensação de perda.
Ficou a tua e a minha vida em comum ,com muitas coisas boas as menos boas já estão esquecidas.
Ficaram os nossos filhos e netos, uma grande dádiva de Deus.
Foste o pai que todos os filhos gostariam de ter tido. Infelizmente não acontece muitas vezes.
Para mim foste a outra metade.
Posso afirmar com toda a segurança que foste um ombro muito amigo e muito acolhedor.
Que estiveste sempre atento a tudo o que me poderia magoar e tu não querias que tal acontecesse.
Sempre estiveste ao nosso lado disposto a despir o casaco e a camisa se para tanto fosse necessário.
Para os teus (nossos) amigos estiveste sempre disposto a ajudar.
Para toda a familia (tua e minha) foste sempre um amigo disponível, todos gostavam muito de ti  Sertório.
Para os teus (e meus) afilhados de batizado e casamento (que são muitos) a tua disponibilidade foi total. Nunca recusaste um convite, mesmo que as condições físicas ou económicas não fossem as melhores.
Muitos dos teus amigos foram teus clientes .
Muitos, mas muitos, hoje enviam cartas a elogiar-te e acarinhar-nos.
Os teus alunos os que souberam que partiste ficaram tristes e elogiam-te, alguns até com escritos públicos.
Como advogado ,estavas sempre disposto a vestir a toga e a ir defender quem te procurava .
Algumas vezes fora de horas quando nos batiam à porta ou  tocava o telefone.
Nunca viraste a cara a um desafio por maior que fosse.
Sempre tiveste um sentido de justiça bem apurado.
Recordo, com muita saudade, as noites que passávamos no escritório em que tu escrevias à mão e eu ao computador peças jurídicas intermináveis, em que as folhas manuscritas que me entregavas não tinham uma rasura e eram duma beleza linguística fantástica.
Além de que no aspecto jurídico eram peças inovatórias que quase todas mereciam elogios dos magistrados e muitas seriam publicadas nos Acórdãos das revistas da especialidade e deram azo a algumas alterações no plano jurídico.
Foram tempos muito bons, de muito estudo e trabalho.
Fizeste tudo bem Sertório.
Por isso ficou um vazio muito grande!
O Senhor te tenha junto dele é tudo o que peço neste momento.
Dia 30 deste mês celebrávamos 50 anos de casados!
Foi muito bom meu amor!
É díficil esquecer -te!
Tudo à minha volta tem a ver contigo!
Adeus,até breve!


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Grande dor

Perda e vazio.